Páginas

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Aromas.

Aromas.

Chegada hora de estrelas,
Trago para dentro do peito
Aromas do mundo...
Aromas de muitas cores,
De todas as luzes,
Da mais brilhante reluzente,
A mais escura e sombria...
Aromas de emoções,
Muitas emoções,
Nem sempre boas de lembrar...
Aromas das sensações,
Aromas de idos...
Aromas dos ventos carregadores de canções,
Aromas dos versos, dos poemas,
Aromas dos trinos, dos hinos eleitos,
De muitos sonhos, desejos e amores,
Aroma de flores,
Aromas de fantasias, magias e lendas...
Aromas...

Ao alvejar de amarelo azul o céu,
Expelir no sopro do dia
Aromas tragados da noite ao peito,
E cessar respirar,
Até chegada hora de estrelas,
De aromas...


(Jonathan Freitas)

2 comentários:

  1. Lindíssimo poeta!
    Parabéns, que Deus ilumine sempre tamanha inspiração.
    Beijos ternos

    ResponderExcluir
  2. Obrigado moça dos versos... Paz e bem...

    ResponderExcluir